ORIGEM DO KUNG FU (WUSHU)

 

 

Kung Fu (Wushu) é um sistema de luta desenvolvido na China. Seus estilos surgiram das observações dos animais e também através de outras metodologias. Porém, ninguém sabe ao certo quando surgiu. Cogita-se que o primeiro estilo de w

ushu chegou à China através da Mongólia, conhecido como Shuai-Jiao, uma arte marcial desenvolvida pelo imperador amarelo a

mais de 4.000 anos. A história do Kung Fu (Wushu) é cheia de muitas lendas. Isso faz com que se torne mais difícil transmitir uma história compreensiva e exata sobre os fatos. A principal razão para isto é que a história de uma pessoa é a lenda de outra. Há muito poucas provas documentadas para sustentar todas as histórias de Kung Fu (Wushu), já que a maioria das histórias passam de pai para filho, oralmente, com poucas ou até sem nenhuma documentação escrita para comprovar.

Os primeiros registros fiéis de Kung Fu (Wushu) foram encontrados em ossos e cascos de tartarugas da Dinastia Shang (1766 – 1122 a.C.), embora acredita-se que o Kung Fu (Wushu) se desenvolveu muito antes disso. Machados de pedra, facas e flechas foram desenterrados do período da China em recentes escavações. Na verdade, Huang-Ti, o terceiro dos Três Imperadores de Outono (embora alguns o considerem o primeiro imperador da China) usava espadas de cobre para o combate. O seguinte grande desenvolvimento da história do Kung Fu (Wushu), também veio durante as dinastias do Norte e do Sul: a chegada de Bodhidharma.

A LENDA DE BODHIDHARMA (TA MO)


Durante as dinastias do Norte e do Sul, o principal regime começou a atacar a área central da China, e a ordem social foi rompida. Isto criou um crescente interesse no estudo religioso. Em conseqüência, muitas figuras religiosas entraram no país. Uma, em particular, foi Bodhidharma, uma figura obscura na história do budismo. Modernos estudiosos têm sido relutantes em aceitar qualquer versão da existência de Bodhidharma ou afirmam que Bodhidharma é uma lenda. Muitos historiadores budistas, contudo, denominaram Bodhidharma o 28º Patriarca do Budismo, dando provas de sua existência. Bodhidharma (também conhecido como Ta Mo, Dharuma e Daruma Taishi) foi o terceiro filho do Rei Sugandha do sul da Índia, foi um membro dos kshatriya, ou casta guerreira, e passou sua infância em Conjeeveram (também Kanchipuram ou Kancheepuram), a pequena província budista do sul de Madras. Ele recebeu seu treinamento em meditação budista do mestre Prajnatara, que foi responsável pela mudança do nome do jovem discípulo de Bodhitara para Bodhidharma. Bodhidharma foi um excelente discípulo e logo se sobressaiu entre os colegas. Na meia-idade já era considerado um mestre budista. Quando Prajnatara morreu, Bodhidharma foi para a China. Duas razões existem para isso: foi um desejo de seu mestre, Prajnatara, no leito de morte; ou Bodhidharma ouviu falar dos religiosos na China e se entristeceu com o declínio da verdadeira filosofia budista lá. Viajou para a província Honan atravessando o rio Yuang-tse (diz a lenda) num bambu. Estabeleceu-se no monastério Shaolin (também chamado Sil-lum) no monte Shao-shih nas mostanhas Sung. Depois de chegar ao templo Shaolin, ele meditou em frente a uma parede por nove anos. Em sua meditação, fundou o budismo ch’an. A lenda diz que além de formar o ch’an, Bodhidharma também fundou o Kung Fu (Wushu).

TEMPLO SHAOLIN

É mais provável que, sendo um mosteiro, Shaolin abrigasse muitos fugitivos da justiça, que eram também guerreiros hábeis e tornavam-se monges. Acredita-se que Bodhidharma tenha fundado uma série de exercícios que ajudavam a unir a mente e o corpo – exercícios que os monges guerreiros achavam benéficos a seu treinamento. Durante esta época, as artes marciais da China separaram-se em duas formas distintas: boxe interno (neijia) e boxe externo (waijia). Com o Kung Fu (Wushu) Shaolin firmemente plantado no solo da China, a arte diversificou-se em milhares de estilos familiares distintos.

O TERMO KUNG FU

Kung Fu, é uma palavra chinesa em forma coloquial que pode significar “Tempo e habilidade” ou “Trabalho Duro”, adquiridos através de esforço e competência. Esta palavra para os orientais, não se refere especificamente á sua arte marcial, mas sim o termo Wushu. A explicação para a utilização do termo Kung Fu no ocidente se deve à imigração de chineses (cantoneses, em sua maioria) para a América, o termo começou a se difundir. Os chineses de Guang Dong (Cantão) costumavam a se referir ao treino e as lutas corporais à uma atividade que requeria muito tempo de prática, habilidade e trabalho duro (Kung Fu), e em seu dialeto usavam a expressão Kung Fu, numa tentativa de explicar aos ocidentais que os observavam. O termo ganhou popularidade de fato a partir do final dos anos 60, graças aos filmes de artes marciais de Hong Kong (especialmente os de Bruce Lee), e aos seriados para televisão que levavam no título o termo Kung Fu, como o seriado estrelado por David Carradine. O termo Kuoshu significa arte nacional e portanto, também podemos nos referir à arte marcial chinesa Kung Fu como Kuoshu.