A LENDA DA CRIAÇÃO DO ESTILO LOUVA-A-DEUS

O lutador Wang Lang, depois de ter perdido algumas lutas para monges de Shaolin, resolveu ir à floresta para contemplação. Enquanto descansava debaixo de uma árvore, Wang ouviu a longa nota aguda de uma cigarra, em um galho baixo do arbusto acima dele. Olhando silenciosamente para o alto, Wang reparou em um frágil, com aparência quase quebradiça, louva-a-deus engajado em uma luta de vida ou morte com uma grande cigarra. A cigarra estava fazendo o seu máximo, sua cabeça estava contra o louva-a-deus e quase o imobilizava com sua tenacidade. Foi quando o louva-a-deus reagiu com ferocidade usando sua forte virada de patas e mordendo a boca da robusta cigarra, para agarrar e desfazer-se da posição em que estava. O carnívoro louva-a-deus consumiu a sua vítima. Altamente impressionado com o que vira, Wang decidiu capturar o inseto vitorioso e então observar os seus movimentos defensivos e ofensivos. Usando um graveto de pequeno comprimento, ele cutucava e provocava o louva-a-deus em todas as direções. Invariavelmente o louva-a-deus, com sua cabeça capaz de virar para qualquer direção, se defendia efetivamente quando provocado de frente ou de costas. O perseverante inseto tornou-se a inspiração de Wang para o seu novo sistema de combate. Depois de uma preparação pessoal concentrada e fixa ele, finalmente, acreditou que estava preparado para testar seu novo estilo de luta contra o mestre do monastério. Wang, extraordinariamente, derrotou o mestre dos monges com suas táticas de inseto selvagem nunca antes usadas por um homem. Os monges aceitaram com surpresa e respeitosamente a sua derrota. A história de sua vitória se espalhou pelas diversas províncias, tornando Wang Lang o novo herói das artes marciais, logo rodeado por muitos discípulos. O sonho de Wang Lang foi finalmente realizado, sua escola de auto defesa do louva-a-deus, se tornou extremamente proeminente no Nordeste da China, sendo considerada por alguns como uma das maiores de sua época. O venerável Wang morreu anos mais tarde, feliz com sua fama como mestre do sistema louva-a-deus. O louva-a-deus, inseto cuja aparência nos sugere devoção é ironicamente um predador por natureza. Suas patas dianteiras, costumeiramente posicionadas de forma a sugerir as mãos juntas de um devoto, graças ao estilo marcial que inspirou, o louva-a-deus tornou-se o inseto mais famoso no campo das artes marciais.

WANG LANG

Estátua em madeira do Templo Shaolin

Alguns manuscritos históricos, relatam que mestre Wang Lang viveu na dinastia Song e fez parte do seleto grupo dos 18 mestres de artes marciais chinesas, convidados pelo Abadê Fu Yu do Templo Shaolin, para terem seus métodos de combate documentados em um manual chamado de “Mãos Secretas” (Luóhàn Xínggong Duan Da), que foram transmitidos e preservados. Segue abaixo lista dos 18 mestres convidados:

1 – Chang Quan – Imperador Taizu
2 – Tonbei – Han Tong
3 – Chan Feng – Zhang En
4 – Duanda – Ma Ji
5 – Keshou Tongquan – Jin Xiang
6 – Gou Lou Cai Shou – Liu Xing
7 – Zhanna Diefa – Yan Qing
8 – Duan Quan – Wen Yuan
9 – Hou Quan – Sun Heng
10 – Mien Quan – Mien Shen
11 – Shuailue Yingbeng – Huai De
12 – Gunlou Guaner – Tan Fang
13 – Yuanyang Jiao – Lin Chong
14 – Qishi Lianquan – Meng Su
15 – Kunlu Zhenru – Yang Gun
16 – Woli Paochui – Cui Lian
17 – Kao Shou – Huang You
18 – Tanglang – Wang Lang

Esta junção de mestres, explicaria bem o fato de encontrarmos técnicas e características dos 18 estilos acima, intrínsecos no sistema criado por Wang Lang. Outro ponto observado é que todos os estilos mencionados são genuinamente do norte, portanto o Tang Lang de Wang Lang é um estilo do Norte, não tendo nenhuma semelhança com o estilo de mesmo nome criado no Templo do Bambu, no sul da China, muitos anos depois. O livro Chang’s Pugilist (Chang Shi Ji Wu Shu), publicado em Honan durante o reinado Chien Long (1736-1795) da dinastia Qing, referência Wang Lang, como histórico fundador do Louva-a-Deus, e sendo também criador de movimentos de espadas duplas.

OS 12 PRINCÍPIOS

Acredita-se que Wang Lang tenha formulado primeiro a teoria dos 12 princípios, antes de qualquer seqüência ou aplicações de movimentos. Os 12 princípios consistem em variações de ataques e defesas subdivididos em oito métodos rígidos e doze suaves. Segundo relatos, Mestre Wang Lang teria ensinado a seus discípulos as formas Beng Bu Quan e Lan Jie Quan, porém estas formas só começam a aparecer historicamente, a partir do Mestre Li Bing Xiao, na dinastia Qing. Com o passar do tempo, o sistema de Wang Lang foi ganhando novas técnicas e interpretações, sendo dividida em sub-sistemas.

ESTILOS

Segue abaixo os estilos considerados Tradicionais:

Mei Hua Tang Lang (Flor da Ameixeira)
Taiji Mei Hua Tang Lang (Flor da Ameixeira Suprema)
Mi Men Tang Lang (Porta Secreta)
Babu Tang Lang (Oito Passos)
Qi Xing Tang Lang (Sete Estrelas)
Taiji Tang Lang (Supremo)
Liu He Tang Lang (Seis Harmonias)
Chang Quan Tang Lang (Punho Longo)*

* Chang Quan na verdade não é um estilo, e sim uma escola específica de Taiwan que ensina Mei Hua e Qi Xing Tang Lang, mesclados com técnicas de Punho Longo do Sistema Shaolin do Norte. Este nome foi criado por Mestre Gao Dao Sheng pela não possibilidade de registro do nome “Tanglang Men – Escola de Louva-a-Deus”, na Federação de Kuo Shuo de Taiwan, pois o nome já estava registrado por Mestre San Xiang Liu Yun Qiao de Liu He Tang Lang.
Independente da nomenclatura, todas as linhagens acima tem o Mestre Wang Lang como o seu patriarca, e seus principais ícones e fundadores viveram em algum período de suas vidas na província de Shandong, berço do Tang Lang. Apesar das diferenças técnicas é fácil notar a presença dos 12 princípios de Wang Lang em todas elas.

O MEI HUA TANG LANG QUAN 

A história da linhagem Mei Hua Tang Lang começa a ser contada a partir da sexta geração do Louva-a-Deus, com o Mestre Liang Xue Xiang.
Um praticante do estilo Mei Hua Quan (Punhos Floridos) chamado Jiang Hua Long, foi até a escola de Kung-Fu de Mestre Liang Xue Xiang para desafiá-lo a um combate, pois o mesmo ouvira relatos sobre suas técnicas de Tang Lang. Lá chegando, mestre Xiang tentou persuadí-lo do duelo, como o mesmo estava decidido, disse que só sairia de lá após vencê-lo.
Um dos discípulos de Mestre Xiang presenciou tal fato e se prontificou a lutar no lugar de seu mestre, assim foi feito, depois de alguns minutos Jiang Hua Long havia vencido a luta. Neste momento foi a vez de mestre Xiang propor um desafio a Jiang Hua Long, que seria da seguinte forma: “Volte aqui amanhã descansado e lutamos à portas fechadas, se eu perder eu aprendo o seu estilo Mei Hua, caso você perca irá aprender o meu estilo Tang Lang”. Jiang Hua Long prontamente aceitou o desafio, porém, não sabia ele que havia vencido um aluno intermediário de Tang Lang Quan.

Monumento de Wang Lang em Laoshan – Shandong. Aos pés do monumento estão grafados na pedra os nomes dos principais Mestres de Tang Lang Quan.

No dia seguinte, o combate segue e em poucos minutos, Jiang Hua Long, apesar de ser um bom lutador, estava nocauteado. Passado algumas semanas, Jiang Hua Long volta a escola de Mestre Liang Xue Xiang, para honrar o compromisso. Apesar de telo derrotado com facilidade, Mestre Xiang gostou muito da movimentação do Estilo Mei Hua, e com isso introduziu com a ajuda de Jiang Hua Long alguns destes conceitos no estilo Tang Lang original de Wang Lang. Nascia nesta ocasião o Mei Hua Tang Lang Quan.
Existem relatos que mestre Xiang e Jiang Hua Long desenvolveram estas técnicas por cerca de 10 anos. As formas Mei Hua Ba Bu Quan e Li Pi Quan tem as autorias creditadas a Mestre Jiang Hua Long. Porém, há outras vertentes que dizem que Jiang Hua Long não teria ido até Mestre Xiang para desafiá-lo, mas sim para treinar Qi Gong. E só após treinar por três anos Qi Gong, com Mestre Xiang, é que ocorreu o desafio, já que Long foi questionado por seu mestre, sobre não querer treinar seu estilo. A luta foi uma forma de Mestre Xiang, provar que Tang Lang era melhor que Mei Hua, desta forma, a luta resultou na proposta de união dos estilos, surgindo assim o Estilo Mei Hua Tang Lang Quan por Jiang Hua Long e seu mestre Liang Xue Xiang.
Jiang Hua Long ficou muito conhecido em Shandong como as “Mãos Fantasmas”, onde teve diversos alunos.

 

O WU JI TANG LANG MEN

Sabemos que pela visão do Mestre Shi Zheng Zhong, o estilo Louva-a-Deus é o resultado de seu completo domínio dos cinco sistemas do Louva-Deus: Qi Xing Tang Lang Quan (Sete Estrelas), Mei Hua Tang Lang Quan (Flor de Ameixa), Tai Ji Tang Lang Quan (Punho Supremo), Mi Men Tang Lang Quan (Porta Secreta) e o Ba Bu Tang Lang (Oito Passos). Seu objetivo em vida sempre foi aprimorar seu conhecimento marcial e passá-lo adiante. Durante o êxodo da China para Taiwan, causado pela revolução comunista e cultural, Mestre Shi Zheng Zhong, pôde estudar com mais de 30 mestres que, originalmente, vieram de todas as partes da China. Muitos mestres migraram para Taiwan durante esses períodos de revolução. Isso proporcionou acesso a diferentes estilos e métodos. Antes da imigração, para aprender e localizar grandes mestres, os estudantes precisavam viajar por anos pela China. Ele treinou com os principais mestres, selecionou as mais ricas e efetivas teorias e técnicas desses estilos e ensina esses tesouros para seus alunos, através de aplicações baseadas num sistema, que teve sua origem na formidável árvore genealógica do estilo Louva-a-Deus. Com essa união, dizer que nossa escola ensina unicamente a linhagem Mei Hua não seria correto e nem retrataria com legitimidade o trabalho do Mestre Shi e seus discípulos. Assim, em 2016, passamos a chamar nossa linhagem do Tang Lang Quan de “Wu Ji Tang Lang Men” (Estilo Louva-a-Deus Absoluto), sendo Wu Ji (absoluto); Tang Lang (Louva-aDeus); Men (Porta, estilo, escola).

Agora, o nome de nosso estilo e linhagem expressam com veracidade os princípios marciais e filosóficos disseminados a todos no Brasil e passados aos discípulos pelo Mestre Shi Zheng Zhong.

  • Estilo Tang Lang Quan
  • Linhagem denominada Wu Ji Tang Lang Men